15394288964_7def2b107f_h

17/05/2017

Benefícios fiscais e Aspectos legais relevantes para o investimento na matriz energética

Nos últimos anos, as energias renováveis se consolidaram como uma importante alternativa para suprir a alta demanda em um dos setores mais estratégicos para o país. A expectativa do Governo Federal é de que esse cenário se mantenha com incentivos para o empreendedor que planeja investir na matriz energética.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, o objetivo do governo é dobrar sua capacidade de energias eólica, solar e de biomassa até 2030, aumentando em 23% a participação de fontes renováveis na matriz energética.

O avanço em investimentos de energia renovável visa corrigir a dependência apresentada pelo Brasil de seu potencial hidrelétrico. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a principal fonte de geração de energia elétrica do país ainda é a hídrica, que corresponde a 61,3% da produção, seguida pela produção a partir de combustíveis fósseis (17%), biomassa (8,7%) e eólica (5,9%).

Embora ainda tenha pequena participação quando comparada à hídrica, a energia eólica apresentou altas taxas de crescimento no Brasil nos últimos 10 anos, com o salto de potência instalada de pouco menos de 200 MW para mais de 8 mil MW, ultrapassando a energia nuclear.

Para potencializar o crescimento da energia eólica e demais fontes renováveis, o governo concede incentivos para quem deseja investir na matriz energética.

Continue lendo em Blog Energia Corrêa Ferreira